Medicinas, Terapias e Curas

Vivemos atualmente uma crise de saúde a nível mundial. Apesar de toda a evolução tecnológica dos últimos anos, continuamos a ter um enorme contingente de pessoas doentes no Brasil e no mundo.

A medicina alopática baseada em medicamentos produzidos por indústrias farmacêuticas, tornou-se dominante no ocidente desde a época do famoso RelatorioFlexner (1910). Desde então as outras formas de medicina passaram a ser consideradas alternativas ou complementares. Contudo as medicinas Chinesa e Ayurvedica, por exemplo,  existem há mais de 5000 anos e continuam sendo eficazes.

A grande diferença entre estas e a alopatia é que elas entendem o ser humano como um todo inter-relacionado internamente e também com o meio ambiente em que vive. Daí serem chamadas de medicinas holísticas pois consideram a energia envolvida nas diversas interações.

Ao abordarmos a interação energética entre os seres humanos e o ambiente, podemos perceber que não apenas causas físicas podem afetar o equilíbrio energético do corpo humano. Já está comprovado que as ondas eletromagnéticas transmitem energia e que estas afetam os seres vivos. As ondas eletromagnéticas são categorizadas pelas suas frequências medidas em Hertz (HZ). Sabemos que as ondas de frequências mais altas são radioativas e causam mutações nas células.

Desde os anos 30 do século XX foram desenvolvidas terapias baseadas em ondas eletromagnéticas e que tiveram sucesso na cura de diversas doenças. Um corpo humano saudável tem uma energia superior a faixa energética da maioria dos micróbios. Se nos mantivermos em um alto nível energético, os micróbios – vírus, fungos, bactérias, etc – não nos afetarão. Nosso sistema imunológico é capaz de combatê-los.

A energia em nosso corpo é gerada, em grande parte, em função do que comemos. A digestão é feita por meio de bactérias que habitam nossos intestinos e compõem a flora bacteriana. Ali convivem diversos tipos de bactérias e algumas são saudáveis e outras nocivas. Uma grande quantidade de bactérias saudáveis nos permite ter um alto nível de energia e saúde.

Atualmente sabe-se que 90% da serotonina – o hormônio da felicidade – é produzido nos intestinos. Também a falta ou excesso de determinados minerais causam alterações de comportamento afetando nossa interação em sociedade. Isto nos leva a considerar a importância da forma como nos alimentamos. Hoje é comum encontrarmos pessoas com excesso de peso, porém com falta de nutrientes essenciais para o bom funcionamento do corpo.

Muita gente no mundo ocidental padece de doenças devido a um desequilíbrio em sua flora bacteriana. Devido a uma alimentação pobre em nutrientes aumenta a quantidade de bactérias nocivas. Os alimentos industrializados, os geneticamente modificados, os aditivos químicos, os agrotóxicos são agentes de desequilíbrio no trato intestinal, trazendo consequências graves para a saúde de grande parte da população mundial.

A combinação dos alimentos e os horários em que nos alimentamos também são importantes. Atualmente a nutrição vai muito além das calorias contidas nos alimentos. É preciso saber um mínimo sobre nutrição para que se possa ter saúde. O alimento deve ser o seu primeiro remédio, ensinava Hipocrates o patrono da medicina. Desta forma, podemos agir preventivamente em relação as doenças.

Infelizmente a formação dos médicos e outros profissionais de saúde dedica muito pouco tempo a estudar sobre nutrição e suas consequências. Ao contrario as medicinas holísticas consideram a alimentação um fator muito importante em sua formação. Os alimentos possuem características energéticas que devem ser consideradas de forma a acrescentar energia ao sistema energético humano e não diminui-lo. A dieta deve acompanhar as mudanças de estação ao longo do ano, e das condições vitais. O conhecimento dos ciclos naturais é importante para definir as estratégias de saude.

O uso comum de antibióticos na produção de carnes e leite e também pelos médicos nas clinicas e hospitais, destroem a flora intestinal gerando diversas doenças como efeitos colaterais.

Sabe-se que muitas doenças são causadas por uma síndrome metabólica, que provoca uma inflamação generalizada no corpo porem a mesma não dói e atua silenciosamente afetando diversos órgãos e gerando múltiplos sintomas. A medicina alopática trata os sintomas prescrevendo diversos medicamentos. A interação destes medicamentos traz efeitos colaterais que combinados ninguém sabe exatamente o que acontece. A isto chama-se iatogenia que uma das grandes causas de morte no mundo ocidental.

O prêmio Nobel de medicina de 2016 foi ganho por um médico japonês que comprovou o poder curativo do jejum. Diversas religiões recomendam o jejum em suas práticas. O jejum permite uma reorganização do sistema celular, eliminando células degeneradas. Isto nos permite alcançar um patamar mais elevado de energia no corpo, permitindo que o mesmo se regenere naturalmente.

Uma outra causa de desequilíbrio energético é a exposição dos seres humanos a campos eletromagnéticos induzidos pelas redes elétricas, micro-ondas e redes wireless. A poluição eletromagnética é um perigo a que todos estamos expostos, mas ainda poucos estão conscientes das causas e consequências. O uso indiscriminado de celulares, notebooks, computadores, fornos de micro-ondas e tantos outros aparelhos tem trazido consequências danosas a saúde devido a alterações nas células.  O interesse econômico das corporações faz com que não haja campanhas de conscientização a respeito, apesar de diversas iniciativas de grupos não oficiais de tornar público estudos sobre o tema.

O stress da vida urbana, e em especial no mundo corporativo, leva muitas pessoas a um estado precário de saúde. O sistema nervoso simpático é continuamente ativado pelas situações cotidianas e poucas são as oportunidades para relaxar, e permitir que o sistema nervoso parassimpático atue. Isto afeta nossos órgãos e nosso sistema límbico de reação a situações de perigo. O sistema límbico é uma herança dos nossos antepassados quando tínhamos situações reais de ameaça a nossa integridade física, concentrando energia nos músculos para lutar ou fugir. Em nossos dias, as ameaças são mais a nível emocional e mental, e a possibilidade de relaxamento fica muito reduzida. Portanto, aprender técnicas de relaxamento que permitam ao sistema parassimpático efetivamente atuar é muito importante para a manutenção da saúde. Este relaxamento também pode ser induzido através de equipamentos que atuam na frequência das ondas cerebrais.

Pelo exposto, pode-se ver que a saúde é o resultado de diversas escolhas que fazemos diariamente. A escolha de nosso ambiente interno e externo determina o padrão genético que irá se manifestar predominantemente.

Para que sejam feitas as melhores escolhas é necessária informação sobre as diferentes situações que encontramos em nosso cotidiano.A cura de doenças só será alcançada quando as pessoas souberem como se manterem saudáveis. Infelizmente, este conhecimento não virá através da mídia, nem pela rede oficial de saúde.

Nossa proposta é levar educação sobre saúde para que o público em geral tome consciência dos fatores que desequilibram seus corpos e mentes e que conduzem a saúde ou a doença.

A cura é uma questão pessoal e depende da responsabilidade que cada um assume sobre sua própria vida.

Newton Burmeister
Coach em Saude Holistica
12/08/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próximo Capítulo:
O corpo energético humano. Cristais Marcel Vogel, pesquisador sênior da…